quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Osteofitose: O famoso bico de papagaio

        Osteofitose é uma patologia que se caracteriza pelo crescimento anormal de tecido ósseo em torno de uma articulação das vértebras cujo disco intervertebral, que deveria funcionar como amortecedor entre os ossos, está comprometida.
Essas alterações, os osteófitos ou bicos-de-papagaio, surgem como consequência da desidratação do disco intervertebral, o que favorece a aproximação das vértebras e torna possível a compressão das raízes nervosas. Na verdade, os osteófitos podem ser considerados um tipo de defesa do organismo para absorver a sobrecarga exercida sobre as articulações e estabilizar a coluna vertebral.
        O nome bico-de-papagaio pelo qual a doença se tornou popularmente conhecida deve-se à semelhança dessa expansão óssea com o bico recurvado da ave.
A deformação afeta especialmente as pessoas depois dos 50 anos, mas pode manifestar-se também em pessoas mais jovens expostas aos fatores de risco.

Causas

    Além do desgaste natural dos discos intervertebrais próprio da idade e da predisposição genética, estão entre as causas mais frequentes do aparecimento do bico-de-papagaio (osteófito) a má postura, a obesidade e o sedentarismo. No entanto, traumas na coluna sofridos anteriormente e doenças reumáticas podem estar associados ao aparecimento da lesão.

Sintomas

      Os principais sintomas são dor forte, limitação dos movimentos, perda da força muscular, da sensibilidade e dos reflexos. Em algumas situações, formigamento pode ser outro sinal da doença.

Diagnóstico

       A avaliação clinica e o levantamento da história de vida do paciente são elementos básicos para estabelecer o diagnóstico de bico-de-papagaio. No entanto, exames de imagem como raios X, tomografia computadorizada e ressonância magnética podem ser úteis para analisar a extensão e gravidade do problema.


Prevenção

          Alguns cuidados são essenciais para prevenir a formação de bicos-de-papagaio. Como a postura incorreta pode ser considerada uma das principais causas da doença, é preciso redobrar a atenção nas atividades do dia a dia que possam favorecer a ocorrência de pequenos traumas e/ou o aumento da sobrecarga na coluna vertebral.
A manutenção do peso corpóreo nos níveis adequados e a prática regular da atividade física são consideradas também medidas preventivas indispensáveis para evitar o desenvolvimento da osteofitose. Os exercícios mais recomendados são os de baixo impacto, como hidroginástica, bicicleta, natação e alongamento, pois não forçam as articulações e aqueles que possam favorecer o fortalecimento da musculatura abdominal e da coluna.

Tratamento

       Não existe tratamento para recuperar o disco intervetebral. O desgaste que sofreu é irreversível. Analgésicos e anti-inflamatórios podem ser úteis para aliviar a dor, mas o fundamental é desenvolver hábitos que facilitem corrigir os problemas de postura. Fisioterapia e a prática de prática regular de exercícios físicos são recursos benéficos para controle da doença.Tais como :
        O tens, ultra som, infra-vermelho e o laser, os quais iram promover o relaxamento muscular e analgesia.
            Outras formas de tratamento dos osteófitos podem ser incluídas como os exercícios de alongamento, reeducação postural global (RPG), exercícios de fortalecimento muscular, propriocepção, podemos ainda associar as técnicas de Mckenzie que tem como objetivo fazer retornar as estruturas do núcleo pulposo do disco e a de suporte a um estado anatômico mais normal.
     Casos mais graves indicativos de desalinhamento progressivo da coluna ou de distúrbio neurológico podem exigir intervenção cirúrgica.


Recomendações

* Mudanças no estilo de vida são fundamentais para prevenir ou evitar a formação de bicos-de-papagaio, uma doença encarada como banal, mas que pode provocar dor, desconforto e restrição de movimentos;
* A prática mal orientada de exercícios físicos, em vez de ajudar, pode ser responsável por traumas contínuos na coluna que facilitarão o aparecimento das expansões ósseas características da osteofitose;
* Os bicos-de-papagaio constituem um processo que leva muito tempo para estabelecer-se. Quando se instala, porém, exige cuidados pela vida toda;
* Os primeiros sintomas sugestivos da osteofitose são razão suficiente para procurar um ortopedista para controle e tratamento da enfermidade.



Segue abaixo uma imagem mostrando os osteófitos na coluna


quinta-feira, 21 de março de 2013

Dia Internacional da Síndrome de Down !!


O Dia Internacional da Síndrome de Down foi proposto pela Down Syndrome International como o dia 21 de Março, porque esta data se escreve como 21/3 (ou 3-21), o que faz alusão à trissomia do 21. A primeira comemoração da data foi em 2006. No Brasil, houve muita repercussão na mídia desta data em 2007, pela presença do jogador de futebol Romário e da novela Páginas da Vida. Queremos que esta data seja lembrada como o Dia de lutarmos pelos Direitos de todas as pessoas com Down e outras particularidades especiais no mundo.





sexta-feira, 15 de março de 2013

OBESIDADE X FISIOTERAPIA

         


    A obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal no indivíduo.  É um problema de saúde pública, pois vem crescendo em índices alarmantes.
No Brasil, 15% das crianças são obesas, podendo assim continuarem a serem obesas quando forem crescendo sem  se preocuparem com a alimentação( figura 2) e a prática de exercícios regulares,( figura 1) no adulto,o excesso de gordura corporal aumenta o risco de doenças metabólicas, cardiovasculares, distúrbios respiratórios, osteoarticulares, entre outros. Na infância, os principais riscos são as alterações respiratórias, a elevação do triglicérides e do colesterol, além de distúrbios ortopédicos. Dentre os distúrbios ortopédicos, as alterações posturais da coluna e dos membros inferiores são os mais incidentes. Este fato é preocupante, pois na infância e na adolescência o sistema musculoesquelético ainda está se desenvolvendo, o que torna o corpo mais susceptível a deformações. A boa postura é o estado de equilíbrio muscular e esquelético que protege as estruturas de suporte do corpo contra lesão ou deformidade progressiva independente da atitude (ereta, deitada, agachada, encurvada) nas quais essas estruturas estão trabalhando ou repousando. Sob tais condições, os músculos funcionam mais eficientemente e posições ideais são proporcionadas para os órgãos torácicos e abdominais. A má postura é uma relação defeituosa entre várias partes do corpo, que produz uma maior tensão sobre as estruturas de suporte e onde ocorre um equilíbrio menos eficiente do corpo sobre sua base de suporte.

       Figura 1: Obesidade infantil, se não cuidar quando criança isso pode refeltir no futuro


 Figura 2: Hábitos de uma alimentação, o que a criança está comendo e o que ela pensa em comer se não tiver alguém que a ensine corretamente




A fisioterapia atua nesses casos com diagnósticos e avaliações posturais de maneira que possa se evitar dores e alterações musculoesqueléticas resultantes da sobrecarga assimétrica que a obesidade pode gerar sobre a coluna ou outras partes do corpo. Os tratamentos fisioterapêuticos vão além de tratamentos para alivio dos sintomas e englobam também orientação e prescrição de atividade físicas, exercícios respiratórios, reeducação postural e alimentação, que previnem as moléstias causado pela obesidade.O acompanhamento fisioterapêutico em pré e pós operatório para cirurgias bariátricas é de suma importância para uma recuperação menos traumática. Nesses casos são prescritos alimentação adequada, fortalecimento muscular, exercícios respiratórios , entre outros.
             Em casos como problemas cardiovasculares que a obesidade pode causar , como
  o acidente vascular cerebral ,que reflete em morte e células cerebrais e déficit neurológico o tratamento fisioterapêutico atua com estímulos para recuperação e movimentos musculares, prevenção de deformidades, exercícios físicos, adaptações funcionais, entre outros.
   Então a partir disso é muito melhor cuidar da saúde do que querer ser acometido por todos esses efeitos negativos da obesidade.



VAMOS CUIDAR DA SAÚDE ENTÃO ,   EVITANDO TODOS ESSES PROBLEMAS?